Nunca foi

Capture

  Eu acredito que deixamos ir pouco a pouco. Deixas ir um bocado, depois recais, e volta ao teu pensamento. Mas quando volta, vem com muito menos força do que da última vez. E ficas neste processo de recaídas, até que te libertas. A paciência será a tua melhor aliada, e o tempo o teu melhor amigo. E quanto mais forte tu te apegas a algo, mais forte é o sentimento de desapego quando ele acontece. Quanto mais fundo tu ficas, mais alto te levantas. Quanto mais perto tu estás, mais distância vais querer. Quanto mais fraco tu és, mais forte irás ficar. E o desapego não é algo leviano e simples. Custa, e custa muito. Mas é uma das leis da vida e a boa noticia é a mesma que a má. Nada dura para sempre. A não ser o amor, esse dura. E deixar ir alguém que amamos será sempre uma das maiores provas de amor. Não há nada mais difícil nesta vida do que nos privarmos de algo ou de alguém que vive para sempre em nós.

  Ouvi dizer, que a dada altura tu aprendes a deixar ir. Acordas e já esqueceste. Discordo. Se bastasse apenas um momento para deixar ir, nunca sofreríamos tanto quando perdemos algo. Um sonho. Um objectivo. Um lugar. Uma pessoa. Coisa nenhuma. Se o desapego fosse fácil não seríamos tão bons nesta coisa de sofrer. E não era suposto ser tão fácil sofrer. Mas é. E a razão é simples. Quando estás apaixonada, todo o teu mundo gira à volta dele. Vocês passam os dias juntos. Desde a adolescência, quando a corrida matinal era desculpa para se encontrarem. Quando o passeio de bicicleta era a razão para a chegada tardia na hora de jantar. Iam juntos ao cinema, mas não iam ver. Iam juntos à biblioteca, mas não iam ler. Até os estudos eram desculpa. Os furos tornaram-se aulas e as explicações (que explicações?) duravam a tarde inteira daquela quarta-feira livre. Foram crescendo, mas sempre juntos. As prioridades dele mudaram, mas o que não mudou foi a falta que ele te faz. E é precisamente quando ele está presente que te faz mais falta. Percebes que já não és a numero um (alguma vez foste?). Tu sabes que se as conversas dele contigo deixaram de ser longas, é porque as conversas dele passaram a ser longas com outra pessoa. Então ele diz-te que já não és a luz dos olhos dele, e isso destrói-te por dentro, mas continuas a acreditar. Tu sabes que a vossa história está a chegar ao fim, mas não aceitas. Pois aconselho-te a aceitar. É melhor aceder ao destino e concordar com as escolhas que a pessoa que tu amas fez, do que forçar algo que porventura não foi feito para ser. É que deixar apenas o apego e o comodismo gerirem a vossa relação é dar via verde para o abismo, e fazer com que seja a vossa última morada. Porque muitas vezes o que amamos também é o que nos destrói, por vezes temos de saber quando chega a hora de largar o que tanto nos magoa. Ter coragem de deixar ir o que tem o nosso amor, mas não é nosso.

Nunca foi.

 

Rosdet Nascimento

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s